segunda-feira, 29 de agosto de 2011

.[a]coragem.

Tenho medo das coisas que eu não sei dizer,
Do estável que pra ser instável basta ser.
Tenho medo do indelével, dos "pra sempre" e dos “nãos”,
De ser firme somente nas mãos.

Tenho medo do porto seguro, do forte abalo,
Do certo, que simplesmente para os outros se torna errado.
Das premissas inquestionáveis, do amor jogado fora, e do palpite a qualquer hora.

Tenho medo que manifeste em mim, o medo de agir.
Da tez tímida, e do porvir.
Do incerto do inseguro, tenho medo de pular o muro.

Que me faça o medo desistir talvez, de seguir, de resistir...
Que se faça justo o medo, que se contente com a minha dor em segredo, e que com pena [de mim] vá embora.


Viviane Pereira

2 comentários:

  1. Vc é muito única mulher! Te amo!

    ResponderExcluir
  2. Fazia tempo que eu não vinha por aqui!!! Aproveitei e li mta coisa boa!! Talento é o que não falta!!!

    Beijos!

    ResponderExcluir